Parashat Emor

Toda vez que a Torá menciona a observância do Shabbat, também menciona os seis dias úteis, como está escrito: “Seis dias de trabalho serão feitos, mais o sétimo dia será um dia de descanso”. Mas qual é a relação entre os seis dias da semana e o resto no Shabbat, o mandamento não é suficiente no sétimo dia para não trabalhar?
O rabino “Bechaie” abre uma janela para entender o assunto: “Durante os seis dias devemos servir a Deus mesmo enquanto trabalhamos, assim como os patriarcas fizeram mesmo enquanto cuidavam do rebanho, ou faziam outro trabalho físico”. Entretanto, o sétimo dia deve ser exclusivamente para Deus, sem envolver nosso trabalho. Se olharmos novamente para o verso, veremos que ele não diz “Seis dias você trabalhará” ativamente, mas “Seis dias se trabalhará” passivamente.Mas Deus não condenou o homem a labutar para viver?Certamente, Ele o fez depois que Adão pecou ao comer da fruta. Entretanto, como é possível que uma pessoa queira fazer de seu trabalho seu objetivo principal na vida, e acreditar que seu sucesso no trabalho depende apenas dele, o que não é o caso, pois de acordo com nossa tradição, Deus é o provedor de todos os nossos bens, portanto a Torah disse “o trabalho deve ser feito” passivamente, para nos lembrar que só fazemos nossa parte, e que o trabalho deve ser um meio de nos conectar a Deus. Por Ruben Raikh.

Leave a Reply

Your email address will not be published.